Erro no cadastro do INSS reduz benefício de contribuintes

Rio - A aposentadoria por idade concedida de forma automática pelo Meu INSS, que deveria ser uma "mão na roda" para o trabalhador, pode se transformar numa grande dor de cabeça. Isso porque para conceder o benefício automaticamente a autarquia leva em conta as informações que estão na base de dados do INSS e do governo. E é aí que mora o perigo. Dados incorretos, tempo especial não computado, por exemplo, são alguns dos fatores que podem reduzir o valor do benefício. E a reclamação não para por aí: a hora do saque do dinheiro também tem sido motivo de estresse para o aposentado. Alguns bancos exigem a abertura de conta-corrente. Mas o próprio INSS adverte que não é obrigatório, basta levar a carta de concessão ao banco e documento com foto.

"O sistema do INSS pode não considerar, por exemplo, o período trabalhado de forma especial e sua conversão, além de não somar salários de consideração maiores do que os do CNIS. Assim, os segurados que não tiverem seu tempo, ou algum outro fator, calculados corretamente poderão receber benefícios com valores abaixo do devido", explica João Badari, do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados. "É importante checar sempre se as informações estão corretas na base de dados antes de pedir a aposentadoria", adverte o advogado.

Segundo Badari, uma maneira de evitar transtornos é ficar de olho no Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS). Esse documento é um extrato de vínculos e contribuições à Previdência Social. Caso os dados estejam incorretos ou inconsistentes, os trabalhadores devem levar toda documentação que comprove vínculos de trabalho - como Carteira de Trabalho, recibos de pagamento, contratos de trabalho, entre outros - ao posto da Previdência para fazer os acertos.

veja na integra: https://odia.ig.com.br/economia/2018/11/5594589-erro-no-cadastro-do-inss-reduz-beneficio-de-contribuintes.html